Chá com Cupcake

Chá com Cupcake

chá com cupcake da aliceSemana que vem é meu aniversário e acho que já estou entrando no clima, tenho me lembrado muito de quatro anos atrás, quando fiz um Chá com Cupcakes pra comemorar. Eu estava em uma fase em que adorava fazer Cupcakes, aí me inspirei na Alice no País das Maravilhas e resolvi fazer o chá. Contratei uma máquina que fazia café, cappuccino, e água quente pro chá, que comprei de vários sabores. Pra ter alguma coisa salgada também encomendei mini croissants na padaria. E me aventurei de fazer 100 Cupcakes sozinha… em um forno de fogão de 4 bocas… Se não me engano fiquei cerca de 12 horas com o forno ligado pra assar todos! E olha que era tudo bem simples, usei massa pronta de saquinho em todos:

cupcake

Cupcake Lagarta Azul

Massa de laranja com cobertura de Nutella em forminha marrom. Pra decoração usei minhocas de gelatina e uma outra bala de gelatina também que parece um cogumelo espetada em um palito.

Cupcake Chapeleiro Maluco

Massa de chocolate com menta (essa lembro que era da Fleischmann) e cobertura de buttercream verde, com forminha verde. Esse foi um dos que deu mais trabalho por conta da cobertura. Fiz o buttercream com:

1/3 de xícara de manteiga (não pode ser margarina)
45 ml de leite
1 colher de chá de essência de baunilha
2 xícaras de açúcar de confeiteiro

Modo de fazer: Bater a manteiga com 1 xícara de açúcar, o leite e a baunilha por 5 minutos na batedeira. Colocar a outra xícara de açúcar e bater mais dois minutos.
Eu acabei batendo mais tempo porque demorei pra acertar a cor do verde que queria e fui colocar o corante só no final… Sugiro colocar o corante junto com a última xícara de açúcar e ir acertando durante esses dois minutos.

Pra terminar a decoração coloquei um círculo de cartolina verde por baixo, uma fitinha verde e a plaquinha 10/06.

Cupcake Gato que Ri

Massa de cenoura com cobertura de brigadeiro em forminha cor de rosa. Pra decoração usei confeito de chocolate pro olho e bala de goma em formato de gomo de laranja pra boca. Poderia ter colocado fitas roxas em volta da forminha, mas não deu tempo.

Cupcake Coelho Branco

Massa de limão, cobertura de limão e suspiros, em forminha branca. A cobertura de limão não poderia ser mais simples, 1 lata de leite condensado e 1 pacotinho de suco de limão, só misturados, nem vai no fogo! Super simples e fez muito sucesso! A ideia da decoração era parecer o rabinho no coelho entrando no buraco. Nesse da foto o Super Colaborador que se empolgou em fazer um coelhinho.

Cupcake Rainha de Copas

Massa de baunilha com recheio de geléia de morango, em forminha vermelha. Usei um cortador em formato de coração pra retirar o meio do cupcake e recheei com geléia de morango, sem cobertura.
Esse teve também na versão diet pras avós e uma amiga que não podiam comer açúcar! Usei uma massa diet da Sol e geléia diet da Queensberry (acho que a geléia não achei de morango, então era de frutas vermelhas, pra manter a cor).

Cupcake COMA-ME

Massa de brownie com cobertura de marshmallow e mini Bis, em forminha amarela. O marshmallow era de caixinha, só bati seguindo as instruções. Escrevi COMA-ME com o mini Bis, uma letra em cada cupcake, representando o biscoito que ela come no início do filme pra ficar pequena.

 

Foi trabalhoso por eu ter me empolgado, feito mais cupcakes do que precisava (continuei comendo por vários dias) e seis tipos diferentes, sendo totalmente amadora. Mas foi bem divertido e meu amigos comentam até hoje!

Sobre Cupcakes e Moda

Sobre Cupcakes e Moda

Os Cupcakes, ou bolos de xícaras, existem desde o final do século XVIII nos Estados Unidos, mas ficaram esquecidos por alguns anos. Um dos motivos para terem voltado a moda pode ser o fato de serem porções individuais, mais condizentes com a vida de quem mora sozinho em grandes cidades . Mas o principal certamente foi terem aparecido primeiro na série de tv Sex And The City e depois no filme O Diabo Veste Prada.

anatomia de cupcakes

Pra quem não conhece essa é a anatomia do cupcake: ele é assado em forminhas de papel que já ficam como embalagem. Tem a massa, geralmente um pouco mais seca que a de bolo tradicional, que é o bolinho em si e a cobertura que é a grande atração. Pode ter recheio ou não, é opcional, assim como os confeitos que fazem parte da decoração junto com a cobertura. A combinação de sabores é enorme, mas a cobertura mais tradicional nos Estados Unidos é a de Buttercream, um creme a base de manteiga. Aqui no Brasil ela não funciona tão bem por causa das altas temperaturas e do paladar do brasileiro mesmo.

Os cupcakes que as personagens Carrie e Miranda comem em Sex And The City são da Magnolia Bakery, a confeitaria de cupcakes mais famosa de Nova York. Sinceramente não sei se já era famosa e até por isso foi a que apareceu na série, ou se ficou famosa depois. Provavelmente já era bastante conhecida e a fama explodiu de vez com a menção na série. O fato é que elas comeram seus cupcakes, aparentemente de baunilha com cobertura de buttercream, e eles viraram moda.

Um pouco depois dessa cena em Sex And The City, o cupcake apareceu também em o Diabo Veste Prada, quando a Andy perde a comemoração do aniversário do namorado e leva um cupcake com uma velinha para tentar se desculpar.

É muito fácil perceber a influência que determinados personagens tem quando pensamos em roupas, acessórios, corte de cabelo… coisas mais visuais. Mas comportamentos também são muito copiados! Quando quem está assistindo se identifica com o personagem ou acha ele legal e quer ser como ele, começa a perceber jeitos e ações para repetir. Então não só o que ele usa, mas as músicas que escuta, os lugares que frequenta e o que consome, por exemplo, começam a ser reproduzidos.

Tanto a série quanto o filme em que os cupcakes aparecem se passam em Nova York, uma grande cidade, com um ritmo de vida super acelerado e característico, que combina muito bem com a ideia de um bolinho individual. Nenhuma das três personagens citadas costuma cozinhar em casa, por falta tanto de habilidade quanto de tempo. Miranda e Carrie trabalham, moram sozinhas e são bastante independentes . Andy mora com o namorado e ainda está buscando sua independência, tendo seu tempo totalmente consumido pelo trabalho. Comprar um cupcake parece muito mais apropriado para elas mesmo, não faria sentido assarem e nem comprarem um bolo inteiro.

Aqui no Brasil os cupcakes chegaram com mais força em eventos sociais como casamentos e festas de 15 anos, como parte da mesa de doces (por permitirem decorações lindas) e  também como lembrancinhas, obviamente individuais. Logo ganharam lojas exclusivas, mas não são tão frequentes em padarias e confeitarias em geral como nos Estados Unidos.

 

Só pra esclarecer, a minha porção individual de cupcakes pode ser de dois ou três, mas a ideia é que cada bolinho seja comido por uma pessoa.

 

Imagens do Google

Hello Cupcake! Ideias de Decoração

Hello Cupcake! Ideias de Decoração

Capa Hello CupcakeVocês conhecem o livro Hello Cupcake! ? Eu vi pela primeira vez em algum programa de TV a cabo, mas faz muito tempo, não lembro nem qual o canal… O programa mostrava o making off de algumas fotos, como os cupcakes eram feitos e como as fotos eram produzidas pela Karen Tack e o marido dela, Alan Richardson. Na época minha cunhada trabalhava em livraria, e pegou pra mim. Acho que foi o primeiro de vários livros com segundas intenções que ela me dá… Faz tempo que não faço cupcake, mas gostava muito de fazer como uma distração, e a família sempre se dava bem comendo depois!

Nunca fiz nenhuma receita do Hello Cupcake! especificamente, mas adorava me inspirar nas fotos pra fazer os meus cupcakes. Uma inspiração assim bem longínqua, veja bem…  O livro até tem todas as receitas usadas nas massas e coberturas, e todo o passo a passo de como montar esses cupcakes decorados incríveis! Porém tudo em inglês… Eu tenho um pouco de medo de adaptar receitas assim, porque eu não SEI cozinhar, eu só me viro, é diferente! Quem sabe o que está fazendo pode fazer isso com mais segurança.

Cobertura Hello CupcakePra mim o legal é que mesmo estando em inglês dá pra entender algumas dicas de decoração, por exemplo quais confeitos e outros alimentos usar pra pra decorar, como fazer efeitos cortando a ponta de saco tipo ziplock, moldes pra fazer de chocolate, colocando papel manteiga por cima… Tudo parecendo ser bem fácil de fazer! Massa e cobertura dá pra usar qualquer uma que você já esteja acostumada (até massa de bolo pronta, de saquinho, #confessei!). Alguns itens e algumas marcas que aparecem não temos no Brasil, mas dá pra substituir por outras que temos tranquilamente.

Foi difícil, mas consegui escolher alguns dos meus preferidos pra mostrar!

Girassol Hello CupcakeCavalo Hello Cupcake

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pandas Hello Cupcake

Tubarão Hello CupcakeCoruja Hello Cupcake

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No site tem mais ideias super legais de decoração pra bolo e cupcake, em inglês também.

Entrevista Oh, Darling! Cupcakes

Entrevista Oh, Darling! Cupcakes

logo Oh, Darling! CupcakesUma das novidades que quero trazer para cá é uma coluna de entrevistas. Tenho alguns públicos em mente, mas comecei convidando algumas empresas que conheci esse ano para participarem. Quem vai estrear esse espaço é a Hevelyn Cachiço, da Oh, Darling! Cupcakes, porque fiquei emocionada com a história dela, que vocês vão ler daqui a pouco, e muito agradecida também, por ela ter confiado e se aberto tanto conosco!

1 – Por que escolheu trabalhar com doces? Conte um pouco da sua história, por favor.
Não tenho nenhuma formação em Gastronomia ou especificamente em Confeitaria. Sou formada em Turismo e sempre trabalhei com planejamento de roteiros e tudo relacionado a viagens, nada que me fizesse muito feliz. Durante um bom tempo, eu acreditava que um emprego que me pagasse bem seria o suficiente para me deixar feliz e realizada.
No ano passado, comecei a trabalhar em uma empresa grande e a, finalmente, ganhar bem, acima do mercado. De início, foi ótimo! Estava animada, confiante. Pouco tempo depois, passei a me sentir cada vez mais triste, mais infeliz. Sempre fui muito responsável com minhas tarefas e fui percebendo que já não estava mais conseguindo dar conta de tudo que tinha que fazer. Faltava tempo e, principalmente, vontade, ânimo. Foi tudo ficando sem cor, sabe? E justamente quando eu finalmente consegui um emprego que me pagava bem…
Eu me condenava muito por isso, não achava justo eu me sentir mal estando numa boa empresa e ganhando bem. Achava que em nenhum outro lugar eu conseguiria o mesmo salário, os mesmos benefícios. Só que nada disso me animava mais. Eu me sentia desmotivada, triste, deprimida. Não tinha vontade de acordar, de pegar o metrô. Os dias se arrastavam e quando chegava o final de semana, eu sofria e chorava o tempo todo, com medo do tempo passar rápido e já chegar a hora de ir para o trabalho. No final de fevereiro deste ano, cheguei ao meu limite. Queria morrer, acabar com meu sofrimento, com o desespero que eu sentia. Foi quando o meu noivo, o Pedro, me carregou para um médico que me diagnosticou com Síndrome de Burnout e depressão ansiosa e me colocou em licença médica.
Por volta de junho, comecei a fazer cupcakes pensando na minha sobrinha, a Luisa, conforme escrevi na cartinha que te enviei junto com os cupcakes. Fui pesquisando receitas, combinações, tudo relacionado ao assunto e fazendo tudo que eu podia para a família e os amigos provarem. Com o tempo, as pessoas foram gostando e eu fui me empolgando, aprimorando os cupcakes e fazendo outros doces também, como brownies e alfajores, que amo de paixão!
E sem perceber, eu estava apaixonada por tudo isso e já não pensava mais em morrer. Até as noites de choro foram ficando longe…
Tudo ainda é meio bizarro para mim. Sempre quis ter algo meu, sabe? Mas nunca pensei que seria em algo na área de confeitaria. Sempre gostei de doce (sou daquelas que se precisar optar por comer algo salgado ou doce, fico sempre com o doce!) e minha avó, há anos e anos atrás, trabalhou como “boleira”. Mas eu mesma nunca tive muita pretensão nessa área.
Hoje, encontrei uma grande paixão. Algo que tem me dado mais que retorno financeiro, mas principalmente retorno da minha saúde e da minha alegria. Estou muito empolgada, com vários projetos em mente, com muita vontade de fazer tudo acontecer. Continuo com a terapia, que me ajuda a manter a cabeça no lugar e os medos controlados. Muita fé, muita convicção de que as coisas já estão dando certo e vão dar cada vez mais!

2 – Você come tudo que faz? Com que frequência?
Esse é um grande problema, talvez um dos mais complicados! Infelizmente, minha família é de gordinhos e eu sempre tive dificuldade em controlar o meu peso. Há cerca de dois anos atrás, mudei meus hábitos alimentares e passei a fazer exercício com muita frequencia e consegui perder bastante peso. Com a depressão, perdi a vontade de tudo e inclusive de cuidar de mim. Engordei, mas procuro não me martirizar, me culpar ou me odiar por isso. Com relação aos doces, procuro não comer aquilo que já conheço, que já sei o gosto que tem. Provo tudo o que testo, mas procuro me controlar. E quando testo algo novo procuro fazer aos finais de semana, com a minha família ou a família do meu noivo, porque aí cada um como um pouco e a culpa diminui. Mas ainda tenho muito a melhorar nesse quesito!

3 – Qual foi a melhor sobremesa que você já comeu? E a pior?
Amo o cheesecake de amora da Tati Doces, que fica na Tijuca. Indico muito! E a pior foi um bolo de banana que tentei fazer há alguns anos atrás. Do bolo em si, só as bananas se salvaram, pois a massa ficou uma porcaria, uma vergonha só. Melhorei e muito de lá pra cá! (ainda bem!)

4 – O que sempre tem de sobremesa pra você?
Banana! É a minha fruta preferida. Gosto de comer pura, amassada com aveia e canela, em salada de frutas, na vitamina, no bolo…amo de paixão! Costumo fazer todos os dias à tarde, naquele momento que bate a vontade de comer besteira, uma panqueca de banana com aveia, canela e cacau em pó sem açúcar. É deliciosa, com o gosto marcante da banana!

O site deles ainda está no forno, mas vocês podem conhecer os cupcakes pelo Instagram, pelo Facebook, ou pelo e-mail contato@ohdarlingcupcakes.com.br.